Arquivo do blog

Theme Support

comunidade

Unordered List

esporte

Recent Posts

Tecnologia do Blogger.

Colombo

Postagem em destaque

Morreu o Apresentador de TV, Radialista Ex Deputado Estadual Ricardo Chab

Blog Chik Jeitoso tinha feito homenagem Netsa tarde de Terça Feira acabou de falecer o grande Deputado Estadual Radialista e Apresen...

Pesquisar este blog

Geral

Binho - Aviário

Binho -  Aviário

Flickr Images

Cultura

About us

About us

Flickr Images

domingo, 10 de dezembro de 2017

A CONSPIRAÇÃO DA LÂMPADA VERSÃO ESTENDIDA DOCUMENTÁRIO EXCLUSIVO LEGENDA...







O filme conta a história de como a indústria tem trabalhado por quase 100 anos para promover o aumento do consumo e o crescimento econômico produzindo produtos de qualidade inferior.



A Conspiração da Lâmpada Elétrica



Houve um tempo em que bens de consumo eram feitos para durar. Até que, em 1920, um grupo de empresários percebeu que quanto mais seus produtos durassem, menos eles lucravam. Desde então, fabricantes reduzem a vida útil de produtos para aumentar vendas. O atual ciclo descartável - onde o gadget mais recente está desatualizado depois de um ano e substituir um eletrônico quebrado é mais barato do ...



Aconteceu comigo
De repente meu notebook parou de funcionar, então corri com ele para o conserto. Ao diagnosticar o problema o atendente diz: É problema na peça “X”, para consertar custa R$ 650, R$ 500 da peça e R$ 150 da mão de obra. É mais vantagem você comprar um notebook novo. Acabei optando pela segunda opção, mesmo não tendo dinheiro sobrando, mas graças as 12x “sem juros” fiz a compra. Isso acontece com celular, computador, geladeira, fogão, televisão e milhares de outros eletrodomésticos. Pelo menos no meu caso, 100% das vezes não preciso de um aparelho novo, mas acabo sendo “obrigado” a optar pela compra de um novo, já que os preços são praticamente equivalentes.
Com certa frequência, escutamos os mais velhos dizendo que tal objeto durava 10 anos e que hoje não duram 2 anos, é verdade. Um exemplo é o celular, quase todo mundo troca seu aparelho anualmente. Como curto ser do contra, meu celular tem três anos e minha televisão tem uns dez, só troco se a compra da peça com defeito não valer a pena.
[clickbegga]

O que é Obsolescência?

A obsolescência acontece quando um serviço ou produto deixa de ser útil, mesmo estando em perfeito estado de funcionamento, devido ao surgimento de um produto tecnologicamente mais avançado. A obsolescência dividi-se em três partes: Técnica ou funcional, planejada e perceptiva.
O que irá ser tratado aqui é a obsolescência programada. Ela acontece quando fabricantes reduzem a vida útil de determinado produto, para que após o término dessa vida útil o consumidor compre um novo produto, mantendo assim um consumo constante de tal mercadoria.
A primeira vítima da obsolescência programada foi a lâmpada. Em 1924, em Genebra, homens reuniram-se na criação do primeiro cartel mundial para controlar a produção da lâmpadas. O cartel chamava-se Phoebus e reuniu fabricantes de lâmpadas de todo mundo para compartilhar patentes, controlar a produção e fazer com que o consumidor comprasse lâmpadas com regularidade.
Thomas Edison colocou à venda em 1881 sua primeira lâmpada que durava 1.500 horas. Com a criação do cartel a duração da lâmpada era de 2.500 horas de vida útil, porém em 1925 foi criado o comité das “1.000 horas de vida” para reduzir tecnicamente a vida útil das lâmpadas. Pressionados pelo cartel, fabricantes foram obrigados a produzir uma lâmpada mais frágil. Oficialmente Phoebus nunca existiu, mas seu rastro nunca desapareceu, sua estratégia era ir mudando de nome ao passar do tempo.

Obsolescência programada nos anos 20 e nos anos 50

A obsolescência programada ampliou-se a outras mercadorias. Com a Revolução Industrial, a produção em massa através das máquinas resultavam em mercadorias muito mais baratas. As pessoas começaram a comprar mais por diversão do que por necessidade e a economia acelerou.
Com a crise de 29 aterrorizando os EUA e o desemprego chegando a 25%, as autoridades necessitavam de uma solução. Bernard London sugeriu que a obsolescência programada fosse obrigatória, assim as fábricas estariam sempre produzindo, o consumo não sofreria quedas bruscas e haveria emprego para todos, mas sua ideia nunca foi posta em prática.
Diferente dos anos 20, nos anos 50 o objetivo da obsolescência programada era seduzir o consumidor e não obrigá-lo a consumir. O desenho e o marketing seduziam o consumidor para que desejasse sempre o último modelo. Diferente do estilo europeu, que era de produzir levando em conta a longa duração do produto, o estilo americano era de produzir levando em conta a obsolescência programada e criando o consumidor insatisfeito.
Quando trocamos nosso celular, geralmente jogamos o antigo fora e isso provoca um fluxo constante de resíduos. O lixo causado pela obsolescência programada vai para países do terceiro mundo, como Gana, na África. Um acordo internacional proíbe tal prática, entretanto todo o lixo eletrônico é declarado como produto de segunda mão. Mais de 80% dos resíduos que chegam à Gana, não podem ser reciclados.

Conclusão

O documentário mostra muito mais do que relatei neste artigo. Por exemplo, a história da Nupont que produziu o Nylon, uma fibra sintética extremamente forte e revolucionária. O chip instalado em uma impressora que registra a vida útil dela. Uma empresa da Alemanha Oriental que produzia eletrodomésticos que duravam 25 anos, a fabrica de lâmpadas resistentes também na Alemanha Oriental. O caso do iPod que foi parar nos tribunais. Durante o documentário “The Light Bulb Conspiracy” (A conspiração da lâmpada) você encontrará filmes e livros relacionados à obsolescência além da opinião de autores especializados sobre o assunto.
//////////////////////////////////////////// - //////////////////////////////////
Por Henrique Andrade Camargo

Mesmo que você nunca tenha ouvido falar dela, certamente já foi vítima e, posso garantir, já sabia de sua existência mesmo sem talvez nunca ter ouvido seu nome. Estou falando da obsolescência programada, uma prática industrial que intencionalmente reduz a vida útil de um bem de consumo para forçar sua substituição por outro produto similar novo o mais rápido possível. Gostei muito do título da reportagem de Tatiana de Mello Dias, do Estadão, para definir o termo:“Programado para morrer”.
Em sua matéria, Tatiana levanta os pontos abordados no documentário The Light Bulb Conspiracy (A conspiração da lâmpada elétrica, em tradução livre), da diretora Cosima Dannoritzer. O filme conta a história de como a indústria tem trabalhado por quase 100 anos para promover o aumento do consumo e o crescimento econômico produzindo produtos de qualidade inferior.
Tudo começa com as lâmpadas elétricas, as primeiras vítimas da obsolescência programada. Na década de 1920, um cartel de fabricantes de luzes  decidiu que elas não deveriam durar mais do que mil horas. Naquela época, boa parte das lâmpadas duravam até 2,5 mil horas.
Outros dois casos são emblemáticos no documentário. Um levanta a questão das impressoras a jato de tinta. Elas teriam um sistema especialmente desenvolvido para travar o equipamento depois de um certo número de páginas impressas, sem a possibilidade de reparo, claro (pelo menos oficialmente). O outro trata do primeiro iPod da Apple, cuja bateria foi minuciosamente desenhada para durar pouco, também sem a possibilidade de substituição.
O ruim disso tudo são os desperdícios de recursos naturais e o lixo criado de forma desnecessária, que em muitos casos são enviados para os países pobres como se fossem produtos de segunda mão. Uma lei internacional proíbe que lixo eletrônico seja levado de um país para outro.
O bom é que o movimento para acabar com isso tem ganhado força. No caso da impressora, por exemplo, criou-se um programa que zera a contagem de impressões, fazendo com que a máquina continue funcionando normalmente. Já a Apple sofreu retaliação de clientes e processos judiciais, vendo-se obrigada a trocar as baterias fracas e a estender a garantia dos tocadores de música.


←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Faça Faculdade Uniandrade

Faça Faculdade Uniandrade
Vem pra Uniandrade

Publicidade

Publicidade

Seguidores