Arquivo do blog

Theme Support

comunidade

Unordered List

esporte

Recent Posts

Tecnologia do Blogger.

Colombo

Postagem em destaque

TRE-PR e TRT-PR vão ampliar ações de inclusão de pessoas com deficiência

Convênio assinado nesta quinta-feira (11) no TRE-PR prevê intercâmbio de políticas e iniciativas de aprimoramento da acessibilidade ...

Pesquisar este blog

Geral

Binho - Aviário

Binho -  Aviário

Flickr Images

Cultura

About us

About us

Flickr Images

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Osmar Dias critica gestão Richa e diz que aceita aliança com Requião



Osmar Dias e Requião chegaram a dividir o palanque nas últimas eleições, em apoio a ex-presidente Dilma Rousseff. Foto: Ciciro Back.

Ex-senador relembrou suas origens políticas e elogiou antigos programas do governo peemedebista. Dias também confirmou que quer uma nova licitação para as estradas pedagiadas do Paraná.

ré-candidato ao governo do estado, o ex-senador Osmar Dias (PDT) criticou a atual gestão do Paraná e não descartou receber apoio de Roberto Requião (PMDB) para o pleito deste ano. Desde que isso não altere seu programa de governo, afirmou.
Em entrevista à Gazeta do Povo, Dias relembrou seu início na política e afirmou que gostaria do apoio de seu ex-partido na eleição deste ano. “Tenho origem no PMDB e gostaria de ter o apoio do PMDB, mas enquanto ele [Requião] for candidato a governador, não quero falar nisso porque tenho que respeitar a postulação dele”, afirmou inicialmente.
Ao falar sobre a gestão do ex-governador, no entanto, elogiou a isenção de imposto de cerca de 90 mil micro e pequenas empresas promovida na gestão do peemedebista. E disse que, se for eleito e caso haja espaço, a intenção é retomar esse processo.
“Se eu puder resgatar esse projeto, vou resgatar, e se ele me apoiar nesse resgate, vou aceitar. Não quero apoio fisiológico, não quero apoio do Requião nem de ninguém só para garantir a eleição”, afirmou.
Entre as críticas dirigidas à gestão atual, questionou a política de Beto Richa (PSDB) quanto às contas públicas, que disse “não estar esse mar de rosas”. E apontou sobretudo para o problema que pode vir a ser enfrentado em um futuro não muito distante pela Paranáprevidência.
“Veja se os funcionários públicos na ativa e aposentados no Paraná estão tranquilos quanto à Paranáprevidência? No ano passado, o déficit chegou a R$ 2,900 bilhões, e a previsão para este ano é de R$ 3,400 bilhões. Quem vai assumir o estado vai ter que saber o que terá pela frente”, ponderou.
Embora veja pontos positivos na gestão atual, reclamou da política de aumento de impostos adotada por Richa que, na visão dele, sobrecarregou o setor produtivo e não ampliou a base de arrecadação. E ao mencionar um possível aceno de Richa à sua candidatura, afirmou aceitar, desde que também não precise alterar seu projeto para o estado.
“Quero o apoio do Requião? Se ele quiser me apoiar, se o Beto quiser me apoiar, por que não? Agora, não vou receber [apoio] para fazer o que ele [Richa] está fazendo. Tem que ser do meu jeito”. O pedetista disse ainda que tem conversado com Ratinho Jr. (PSD), o que não significa que está aderido à candidatura dele. “Quero apoio dos que acreditam que eu possa fazer o melhor pelo estado, que conhecendo os problemas, tenho a solução”.

Pedágio? “O que está aí é roubo”

Osmar Dias defendeu uma nova licitação dos pedágios após o vencimento, em 2021, do contrato com as concessionárias que fazem a gestão do modelo atual. Ele se disse contrário à ideia de Requião, de estatizar o serviço para que o arrecadado seja utilizado em manutenção das rodovias. Mas disse que uma nova licitação tem que trazer o preço mais para baixo do praticado atualmente.
“Na hora do edital, que tem de ser feito em 2019, para 2021, tem que deixar o preço do teto, para que a gente não seja explorado”, avaliou.
O pré-candidato fez críticas ainda as concessionárias atuais que, na visão dele, não cumpriram o combinado e já receberam pelo serviço a ser executado. “Fica por isso mesmo?” E chamou de roubo o atual preço praticado nas rodovias.
“Vou fazer uma licitação nova, e a nova quer dizer permitir a participação de empresas nacionais e estrangeiras. Não tem nada de novo em dizer isso, é aberto no edital de licitação. [Vou fazer] com preço muito abaixo do que está aí. O que está aí é roubo. Empresa de pedágio publicar no balanço que faturou R$ 800 milhões e que teve lucro de R$ 360 milhões? O que está gerando isso?”, questionou.

Lula vem aí no dia do aniversário de Requião



←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Faça Faculdade Uniandrade

Faça Faculdade Uniandrade
Vem pra Uniandrade

Publicidade

Publicidade

Seguidores