Arquivo do blog

Theme Support

comunidade

Unordered List

esporte

Recent Posts

Tecnologia do Blogger.

Colombo

Postagem em destaque

Médicos Sem Fronteiras em Curitiba

Pagina Oficial dos MSF no Facebook Pela primeira vez em Curitiba, a exposição Pessoas em Movimento, de Médicos Sem Fronteiras Brasil...

Pesquisar este blog

Geral

Binho - Aviário

Binho -  Aviário

Flickr Images

Cultura

About us

About us

Flickr Images

segunda-feira, 26 de março de 2018

Barros entrega novas ambulâncias para o SAMU



O ministro da Saúde Ricardo Barros entregou nesta segunda-feira novas ambulâncias do SAMU 192 para 22 municípios paranaenses. A cerimônia, aconteceu às 10h, no Palácio Iguaçu, contou com a presença do governador Beto Richa, da vice-governadora Cida Borghetti e de prefeitos de todas as regiões.
A liberação faz parte de um processo de renovação da frota de ambulâncias que atendem urgências e emergências no país. Esse pacote engloba 476 novos veículos para 365 municípios de todos os Estados.

A população de 365 municípios brasileiros em 23 estados contará com novas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192). Nesta segunda-feira (26/3), em Curitiba (PR), o ministro da Saúde, Ricardo Barros, entregou 476 veículos para renovar a frota já existente nessas regiões, melhorando a qualidade do serviço com adequadas condições para socorro imediato. O investimento para esta iniciativa é de R$ 83,9 milhões.

"Nós assumimos esta gestão com ambulâncias muito velhas, mas com a economia que conseguimos fazer foi possível reinvestir tudo em saúde, incluindo na melhoria do serviço de resgate de pessoas em estado de urgência e emergência. A frota, que há muito tempo não era renovada, não terá nenhum veículo com mais de três anos de uso, ou seja, todas as ambulâncias estarão dentro da garantia. O objetivo é garantir uma frota que tenha boas condições de uso e capacidade para atender a população com a maior qualidade possível", destacou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Outra evolução do serviço é a instalação de equipamento para rastreamento dos veículos. Uma licitação está em andamento e, quando concluída, possibilitará controle do deslocamento de todas as ambulâncias. O objetivo é otimizar os recursos federais de investimento e custeio e organizar todo o serviço, evitando, entre outras coisas, o uso indevido das ambulâncias e melhorando o atendimento a quem precisa de atendimento de urgência e emergência.

RENOVAÇÃO

Para renovar a frota, estão sendo considerados neste momento o tempo de uso e o funcionamento regularizado do serviço, assim, toda a frota com mais de três anos de uso deverá ser renovada. São considerados critérios de exclusão: habilitações pendentes, irregularidades apontadas por órgãos de controle ou área técnica, serviços inoperantes por falta de recursos humanos e manifestação de interesse em desabilitar a frota existente.
Nos critérios de desempate, são levados em conta os municípios que estão há mais tempo sem renovação, os que têm menor quantidade de ambulâncias habilitadas pelo Governo Federal e os que têm maior porte e densidade demográfica.
As ambulâncias doadas deverão ser retiradas pelos gestores locais no local indicado pelo Ministério da Saúde. Todos os gestores contemplados estão sendo notificados e estima-se que em até 60 dias todos os veículos sejam retirados diretamente pelos gestores.
Antes da retirada, o prefeito ou governador deve assinar o Termo de Doação do veículo e encaminhar ao Ministério da Saúde a assinatura para posterior publicação no Diário Oficial da União. Essas regras obedecem a recomendação da Controladoria-Geral da União e acórdão do Tribunal de Contas da União.
INVESTIMENTO - Desde o início desta gestão, o Ministério da Saúde vem investindo na aquisição de veículos para fortalecer o atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Além de recursos para as ambulâncias, foi destinado mais R$ 1 bilhão para compra de 1.000 vans para transporte sanitário eletivo e 6.500 ambulâncias brancas - usadas no transporte de pacientes.
O objetivo é qualificar a assistência e garantir a locomoção de pacientes entre municípios e serviços de referência em outras cidades, facilitando o acesso a consultas, exames e internação para cirurgias eletivas. Desde 2004, não havia compra de veículos para transporte sanitário.
Crédito: Erasmo Salomão/MS



















←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Faça Faculdade Uniandrade

Faça Faculdade Uniandrade
Vem pra Uniandrade

Publicidade

Publicidade

Seguidores