Arquivo do blog

Theme Support

comunidade

Unordered List

esporte

Recent Posts

Tecnologia do Blogger.

Colombo

Postagem em destaque

EXCLUSIVO: Live com neste Sábado no Blog Chik Jeitoso com Roberto Requião

Foto Arquivo MDB  Confirmado para este Sábado 16 de Novembro ao Meio Dia Live Poderosa  EXCLUSIVA  no Blog Chik Jeitoso com Vossa Exclên...

Pesquisar este blog

Geral

Binho - Aviário

Binho -  Aviário

Flickr Images

Cultura

About us

About us

Flickr Images

sábado, 15 de setembro de 2018

Delatores contam como a ganância ajudou a ruir o grupo político de Richa



Por João Frey, blog/Gazeta do Povo – 
Nos relatos dos dois principais delatores dos esquemas de corrupção que colocaram aliados políticos de Beto Richa (PSDB) na mira das operações Lava Jato e Rádio Patrulha fica evidente que desentendimentos dentro do próprio grupo foram decisivos para fazer os esquemas ruírem.
Tanto na delação de Nelson Leal Junior, ex-diretor do DER, como na colaboração do ex-deputado Tony Garcia há relatos de disputas internas motivadas, na maior parte das vezes, pela ganância dos envolvidos. Insatisfeitos com os valores que recebiam, empresários e políticos buscavam uma participação maior no esquema, o que frequentemente causava revolta em outros membros do grupo. Dessas divergências surgiram provas que hoje ajudam o Ministério Público Federal e o Gaeco, ligado ao Ministério Público Estadual, a embasarem suas investigações e denúncias.
Na delação de Leal sobre o favorecimento à Odebrecht na licitação da PR-323, o ex-diretor do DER relata uma disputa entre Pepe Richa, irmão de Beto e ex-secretário de Infraestrutura e Logística, e Deonilson Roldo, ex-chefe de gabinete do governador. Segundo Leal, Pepe Richa defendia que a construtora Contern, do grupo Bertin, vencesse a licitação. De acordo com ele, o irmão do governador havia combinado propina de R$ 34 milhões com o grupo. Entretanto, Roldo queria que a Odebrecht levasse a disputa. Com construtora, o ex-chefe de gabinete teria negociado o pagamento de R$ 15 milhões, além da possibilidade de participação de três empresas ligadas ao grupo político, que compuseram um consórcio com a Odebrecht, que acabou vencendo a licitação.
A primeira prova que veio a público a respeito desse caso tem relação com essa disputa. Em maio, foi divulgado um áudio em que Deonilson Roldo conversa com Pedro Rache, diretor-executivo da Contern. Na gravação, que foi usada na investigação da Lava Jato, Roldo tenta demover a construtora de participar da disputa pelas obras na PR-323.
Na operação Rádio Patrulha, a disputa envolveu especialmente o empresário Celso Frare que, segundo o delator, se desentendeu com os outros empresários participantes do esquema. A discordância decorrente de disputas pela divisão dos lotes do programa Patrulha do Campo acirrou os ânimos do grupo e, nas palavras do delator Tony Garcia, virou “briga de quadrilha”.
Com o desentendimento, outro empresário, Osny Pacheco, gravou um vídeo de Frare repassando dinheiro para agentes políticos envolvidos no esquema. A gravação foi feita com uma caneta com câmera acoplada.
“Na verdade, era guerra de quadrilha. E cada um se protegendo de uma maneira e de outra para um não ferrar o outro. Era isso”, relatou Tony Garcia em sua delação.
O vídeo, ao qual Garcia teve acesso e repassou ao Ministério Público, é hoje uma das principais provas na investigação do Gaeco.
“Esse vídeo demonstra o modus operandi adotado para os pagamentos das propinas: maços de dinheiro vivo, depositados em envelopes, entregues na clandestinidade. Registre-se que o vídeo em questão se encaixa perfeitamente em todo o contexto já exposto: das alterações dos editais, das reuniões criminosas realizadas, do agradecimento pelo pagamento do ‘tico-tico’ pelo Estado, dos repasses aos operadores do esquema, enfim, de todas as informações trazidas ao conhecimento da Justiça pelo colaborador”, relatam os promotores.
(Foto: Aniele Nascimento, Gazeta do Povo)

←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Faça Faculdade Uniandrade

Faça Faculdade Uniandrade
Vem pra Uniandrade

Publicidade

Publicidade

Seguidores