Arquivo do blog

Theme Support

comunidade

Unordered List

esporte

Recent Posts

Tecnologia do Blogger.

Colombo

Postagem em destaque

Médicos Sem Fronteiras em Curitiba

Pagina Oficial dos MSF no Facebook Pela primeira vez em Curitiba, a exposição Pessoas em Movimento, de Médicos Sem Fronteiras Brasil...

Pesquisar este blog

Geral

Binho - Aviário

Binho -  Aviário

Flickr Images

Cultura

About us

About us

Flickr Images

domingo, 16 de setembro de 2018

Tony Garcia, o demolidor




"Acusador e acusado, Tony Garcia fala sobre o caso Beto Richa. 
Ex-deputado foi a principal fonte de informação do Gaeco contra o político tucano, mas também é citado por empresários como parte do esquema de propinas na Patrulha do Campo"
Numa entrevista ao vivo, que durou quase duas horas aos jornalistas Rogério Galindo e João Frey para o portal da Gazeta do Povo, o empresário Tony Garcia foi demolidor ao acusar ao ex-governador Beto Richa de não apenas saber, mas de participar efetivamente do esquema de propinas investigado pelo Gaeco no âmbito da Operação Radio Patrulha.
Tony assumiu que foi dele a responsabilidade de ter “colocado em pé” o projeto Patrulha do Campo e que procurou os empresários que participaram do programa para que, ganhando a licitação promovida pelo governo em 2012, repassassem parte do faturamento como “ajuda” às futuras campanhas políticas de Beto Richa.
Mas ressaltou: ele foi encarregado por Beto de articular o esquema, mas saiu do processo quando os empresários participantes – especialmente Celso Frare, dono da locadora Ouro Verde – passaram a não cumprir seus compromissos e não respeitar prazos de pagamento. Além disso, outros membros do governo, como o primo-distante Luiz Abi Antoun e o secretário do Cerimonial Ezequias Moreira, passaram a tumultuar os entendimentos.
Foi neste ponto que Beto Richa voltou a pedir a Tony Garcia – segundo disse na entrevista à Gazeta – que outra vez se encarregasse de cobrar os compromissos assumidos pelas empresas de “ajudar” com 8% dos faturamentos que recebiam do governo. Richa se referia a esses pagamentos como “tico-tico”, conforme áudio que Garcia entregou ao Gaeco em sua delação.
Tony acusou Beto de agir com desonestidade e de jogar na fogueira amigos antigos que sempre o ajudaram, citando como exemplo o primo Luiz Abi e o ex-diretor da Educação Maurício Fanini – o primeiro envolvido na Operação Publicano e em fraudes a licitações, e o outro como pivô da Operação Quadro Negro. Beto passou a se referir a ambos como “criminosos”.
“Comigo o Beto não vai fazer isso. Não vou deixar.” Disse ter provas de tudo quanto afirmou ao Gaeco. E que sabe (também com provas) de outros esquemas de corrupção no governo Beto que, “na hora certa” e se obrigado, relatará às autoridades.
Garcia disse lamentar que Beto Richa tenha envolvido a própria família, como Fernanda e Pepe Richa – pessoas que, segundo ele, foram vítimas da ganância e da soberba do ex-governador, que não poupou nem mesmo a mulher e o irmão.



Celso Frare confirma repasse de R$ 700 mil para campanha de Beto Richa

←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Faça Faculdade Uniandrade

Faça Faculdade Uniandrade
Vem pra Uniandrade

Publicidade

Publicidade

Seguidores